h1

EPITÁFIO

23 de Novembro de 2012

“Aqui jaz a comunidade Cid+. Não choreis! Teve vida curta, mas intensa e bem vivida. E não queirais mal ao coveiro pois não foi ele que a matou; enterrou-a depois de a fazer nascer, de lhe dar vida e de a cuidar enquanto a esvaíam.”

NOTA: na estela tumular de um assassinado não faz muito sentido afixar a identidade do assassino. Mas “os bois têm que ser tratados pelos nomes” e por isso aqui se abre uma exceção para que o mundo saiba quem matou!

Imagem

h1

Resiliência…

27 de Setembro de 2012

É mais uma das palavras da moda e eu, que sou visceralmente resistente à moda, até nem as costumo utilizar enquanto a dita persiste. Mas toda a regra tem exceção e RESILIÊNCIA, que é a capacidade de superar, de recuperar de adversidades, é a palavra que melhor se adequa ao CNO de Cacilhas… e, permitam-me, a mim próprio no momento presente! Também aos candidatos que ontem concluíram o 12º Ano, por esta via, que é tão ou mais digna que qualquer outra, mas que tem sido tratada a pontapé, seja por ignorância, má vontade ou preconceito ideológico.

Por isso felicito duplamente a Cristina, o Mário, o Hugo, o José e o Silvino pela sessão se Júri de Certificação, à qual não pude assistir devido a compromissos profissionais, mas tenho a certeza que correspondeu ao empenho e dedicação que estes candidatos revelaram ao longo dos seus processos.

Por eles, pelos que concluíram anteriormente, pelos que ainda vão conseguir concluir e pelos que ficarão impedidos de concluir, eu continuarei em resiliência…

h1

Últimos Cidadãos+ certificados

25 de Julho de 2012

Hoje foi a última sessão de Júri de Certificação (Secundário) no CNO de Cacilhas… espero que neste ano letivo!

Há uma nota comum a dois dos candidatos que gostaria de salientar para suscitar a reflexão: a reconciliação com a Escola. O Luís disse-nos que, quando mais novo, procurou formas alternativas de aprendizagem e isso nem sempre foi bem aceite e valorizado pelo sistema educativo formal; agora conseguiu validar e certificar esse percurso. O João disse-nos que desistiu da Escola ao fim de três “chumbos” consecutivos porque sentiu o desfasamento entre o que lhe queriam ensinar e o que ele podia ou queria aprender…

O Bruno, o mais novo dos candidatos, terminou a sua apresentação com uma citação de Platão – “Existem três tipos de homens: os vivos, os mortos e os que andam no mar”. Tem um oceano de desafios à sua frente e, agora, a confiança e os instrumentos para começar essa demanda.

Desejo a todos as maiores felicidades e, retomando a citação do Bruno, espero sinceramente que a tormenta em que mergulharam o Processo de RVCC, em particular, e a Educação e Formação de Adultos, em geral, não nos faça naufragar e perecer a todos; aos candidatos que ficaram a meio dos seus percursos, aos Formadores, Profissionais e outros técnicos que se empenharam no serviço público de formar e qualificar a população portuguesa e ao desgraçado do nosso país a quem já bem bastavam as ameaças externas.

Aproveito para desejar a todos os Cidadãos+ boas férias e… até breve!

h1

Mais um dia feliz!

24 de Julho de 2012

O título não é da minha autoria mas apropriei-me dele, e do texto seguinte, porque se referem de forma eloquente à sessão de Júri de Certificação de dia 23 de julho:

“Tive hoje mais um dia feliz na minha vida. Não foi um dia feliz como outro qualquer! Foi especial porque mais 9 candidatos obtiveram o ensino secundário no Centro Novas Oportunidades (CNO) de Cacilhas. Foram 9 percursos de vida singulares, cheios de alegrias e tristezas, mas sobretudos ricos em competências adquiridas ao longo da vida, que permitiram a estes 9 candidatos, com muito trabalho, empenho e dedicação, concluir o ensino secundário. Trabalho, empenho e dedicação, são 3 palavras que caracterizam todos os candidatos com quem tive o prazer de trabalhar e aprender nestes 5 anos em que estive como profissional de RVC no CNO de Cacilhas. Todos eles mereceram a qualificação que alcançaram. Parabéns a todos…

No entanto, não é raro ouvirmos criticar a Iniciativa Novas Oportunidades, nomeadamente o processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC) e os cursos de Educação e Formação de Adultos (EFA)! Porquê? Porque, na realidade, aqueles que o criticam não conhecem o trabalho que se desenvolve num Centro Novas Oportunidades, por um lado, nem percebem a filosofia subjacente aos dois tipos de ofertas educativas referidas, pois para isso teriam de conhecer os Modelos de Educação e Formação de Adultos, o que, de forma evidente, não acontece!

Engraçado, à semelhança do nosso atual Ministro da Educação, também eu sou professora de Matemática (desde 1994)! Quando me convidaram para integrar a equipa do CNO de Cacilhas, há 5 anos atrás, reconheço hoje que não conhecia nada sobre Educação e Formação de adultos e, portanto, fui aprender e documentar-me… E é assim que devia ser. Quando não conhecemos, calamo-nos e se quisermos criticar, documentamo-nos primeiro… Mas de forma séria!

Bem, mas hoje estou feliz…”

Ana Ramirez, Profissional de RVCC

h1

4 Cidadãos+ concluíram o E. Secundário

11 de Julho de 2012

A nota dominante na sessão de Júri de Certificação de ontem foi a tranquilidade das apresentações dos candidatos.

A tranquilidade de quem tem a consciência sólida de um percurso rico de experiências e de aprendizagens, apesar da juventude de três dos candidatos. O menos jovem tem uma carreira profissional quase tão longa como têm os restantes de tempo de vida, mas está neste momento a relançá-la numa nova oportunidade de trabalho e, por isso, a juventude inerente ao recomeço também está presente!

Tranquilidade também pela consciência da seriedade do processo de RVCC que desenvolveram, numa altura em que a credibilidade de quem tanto o criticou e denegriu caiu absolutamente por terra.

Ao Luís, ao José, ao Carlos e ao Jorge, os meus votos de felicidades e de concretização dos seus projetos pessoais e profissionais.

Imagem

h1

Desabafo a propósito de um Nuno (cretino!) que pode, quer e manda… mas não sabe!

29 de Junho de 2012

É o que me resta. Sinto-me revoltado, desencantado e triste, mas de consciência tranquila e orgulhoso do trabalho que fui capaz de fazer com os meus colegas e com os formandos. Estes sentimentos assomaram, mais uma vez, depois de ler uma mensagem que me foi enviada, a qual tomo a liberdade de partilhar sem o devido pedido de autorização, mas tendo o cuidado de preservar a identidade do autor:

Pelo que julgo saber, o CNO-Cacilhas ainda está a funcionar até agosto. Há ideia do que se passará depois?

A forma como este governo da treta tratou o programa é uma vergonha nacional. Infelizmente, não sendo a única, vai passar um bocado ao lado da grande maioria dos portugueses. Alguns até, na sua ignorância e mesquinhez, julgarão o final do NO como a única coisa boa que os passistas fizeram.

Às vezes acho que os portugueses têm o país que merecem, mas depois lembro-me de pessoas que trabalham com olho no futuro, como é o caso dos profissionais que conheci no CNO-Cacilhas, com uma percepção rara do que a escola tem de ser (já nem é “deverá ser”). Nem tem todos os portugueses têm o país que merecem, mas alguns terão de certeza e é pena que sejam esses concidadãos, afectados por um qualquer problema de “delay” mental, a decidir os nossos destinos. Embora, lá está, no que toca a decisões, elas emanem lá mais dos lados de Berlim.

(…) Tenho orgulho de ter terminado o secundário no NO, não há ninguém que seja meu colega na faculdade ou no meu emprego que não saiba desse facto da minha vida recente.

Tenho tanto orgulho nisso como nas minhas notas de faculdade. Quando passo noites a estudar, faço-o com a noção da responsabilidade que devo a mim e aos meus, mas também àqueles que me devolveram o prazer de aprender: o João, a Ana Teresa a Sílvia e a Luz. E eu gabo-me das notas que tenho, ou se me gabo. Este semestre foi ainda melhor que o anterior. Tirei dois 19’s, um 18 e um 17. Tenho já doze cadeiras feitas (faltam 17) e uma média de 17,4 até agora. Vou tentar melhorar o 13 que tive para subir mais um pouco, e continuar a trabalhar.

(…) Não acho que devam desmoralizar. Compreendo que estejam tristes, que é outra coisa, mas fizeram um trabalho excelente, do qual devem, não só ter a consciência tranquila, mas também orgulho. Não deixem que vos levem isso. Se puder, transmita às colegas do CNO os meus cumprimentos. Quem sabe não os vá visitar em Julho, caso não seja inconveniente.”

 O meu obrigado a quem escreveu isto…

h1

+ 6 cidadãos +

29 de Junho de 2012

Infelizmente não pude comparecer à Sessão de Júri de Certificação que culminou o Processo de RVCC de mais seis candidatos, mas sei que estiveram à altura do acontecimento e do trabalho que apresentaram.

A todos o meu obrigado pelo empenho, felicitações para o Paulo Sabino, Pedro Pereira, João Belo, Ana Inglês, Adrien Caseiro e César Gomes e votos de sucesso na concretização dos seus projetos pessoais e profissionais.

Imagem

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 70 outros seguidores