CENTRO QUALIFICA da ES de Cacilhas-Tejo . Grupo 8

veja-5-atitudes-de-pessoas-que-estao-sempre-aprendendo

O grupo 8, em processo de Reconhecimento Validação e Certificação de Competências, está em velocidade de cruzeiro!

Para eles, para todos quantos enfrentam o mesmo desafio, ou em sentido mais lato o desafio da Aprendizagem ao Longo da Vida uma ideia que “roubei” em  http://noticias.universia.com.br/en-portada/noticia/2014/09/24/1112027/veja-5-atitudes-pessoas-sempre-aprendendo.html:

Cinco atitudes de pessoas que estão sempre aprendendo

1 – Elas não deixam o medo impedi-las de tentar

2 – Elas viajam

3 – Elas aprendem um hobbie

4 – Elas andam bem acompanhadas

5 – Elas leem

Fénix renascida

fenixDurou quatro anos o degredo. Resisti, alimentado pelas memórias e pela “raiva a nascer-me nos dentes”, como diz Sérgio Godinho em “Que força é essa?”. O tempo dos mandantes cretinos deixou cicatrizes mas é passado.

Agora é o tempo de recomeçar e das cinzas a que os incendiários e a secura da terra queimada nos sujeitaram resgatei esta comunidade que, viva, poderá ajudar a ressuscitar uma vida interrompida.

Retorno à função de formador de Cidadania e Profissionalidade e a poder contribuir para o Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências adquiridas ao longo da vida.

A Comunidade Cid+ está de novo ativa e responsável.

EPITÁFIO

“Aqui jaz a comunidade Cid+. Não choreis! Teve vida curta, mas intensa e bem vivida. E não queirais mal ao coveiro pois não foi ele que a matou; enterrou-a depois de a fazer nascer, de lhe dar vida e de a cuidar enquanto a esvaíam.”

NOTA: na estela tumular de um assassinado não faz muito sentido afixar a identidade do assassino. Mas “os bois têm que ser tratados pelos nomes” e por isso aqui se abre uma exceção para que o mundo saiba quem matou!

Imagem

Resiliência…

É mais uma das palavras da moda e eu, que sou visceralmente resistente à moda, até nem as costumo utilizar enquanto a dita persiste. Mas toda a regra tem exceção e RESILIÊNCIA, que é a capacidade de superar, de recuperar de adversidades, é a palavra que melhor se adequa ao CNO de Cacilhas… e, permitam-me, a mim próprio no momento presente! Também aos candidatos que ontem concluíram o 12º Ano, por esta via, que é tão ou mais digna que qualquer outra, mas que tem sido tratada a pontapé, seja por ignorância, má vontade ou preconceito ideológico.

Por isso felicito duplamente a Cristina, o Mário, o Hugo, o José e o Silvino pela sessão se Júri de Certificação, à qual não pude assistir devido a compromissos profissionais, mas tenho a certeza que correspondeu ao empenho e dedicação que estes candidatos revelaram ao longo dos seus processos.

Por eles, pelos que concluíram anteriormente, pelos que ainda vão conseguir concluir e pelos que ficarão impedidos de concluir, eu continuarei em resiliência…

Últimos Cidadãos+ certificados

Hoje foi a última sessão de Júri de Certificação (Secundário) no CNO de Cacilhas… espero que neste ano letivo!

Há uma nota comum a dois dos candidatos que gostaria de salientar para suscitar a reflexão: a reconciliação com a Escola. O Luís disse-nos que, quando mais novo, procurou formas alternativas de aprendizagem e isso nem sempre foi bem aceite e valorizado pelo sistema educativo formal; agora conseguiu validar e certificar esse percurso. O João disse-nos que desistiu da Escola ao fim de três “chumbos” consecutivos porque sentiu o desfasamento entre o que lhe queriam ensinar e o que ele podia ou queria aprender…

O Bruno, o mais novo dos candidatos, terminou a sua apresentação com uma citação de Platão – “Existem três tipos de homens: os vivos, os mortos e os que andam no mar”. Tem um oceano de desafios à sua frente e, agora, a confiança e os instrumentos para começar essa demanda.

Desejo a todos as maiores felicidades e, retomando a citação do Bruno, espero sinceramente que a tormenta em que mergulharam o Processo de RVCC, em particular, e a Educação e Formação de Adultos, em geral, não nos faça naufragar e perecer a todos; aos candidatos que ficaram a meio dos seus percursos, aos Formadores, Profissionais e outros técnicos que se empenharam no serviço público de formar e qualificar a população portuguesa e ao desgraçado do nosso país a quem já bem bastavam as ameaças externas.

Aproveito para desejar a todos os Cidadãos+ boas férias e… até breve!

Mais um dia feliz!

O título não é da minha autoria mas apropriei-me dele, e do texto seguinte, porque se referem de forma eloquente à sessão de Júri de Certificação de dia 23 de julho:

“Tive hoje mais um dia feliz na minha vida. Não foi um dia feliz como outro qualquer! Foi especial porque mais 9 candidatos obtiveram o ensino secundário no Centro Novas Oportunidades (CNO) de Cacilhas. Foram 9 percursos de vida singulares, cheios de alegrias e tristezas, mas sobretudos ricos em competências adquiridas ao longo da vida, que permitiram a estes 9 candidatos, com muito trabalho, empenho e dedicação, concluir o ensino secundário. Trabalho, empenho e dedicação, são 3 palavras que caracterizam todos os candidatos com quem tive o prazer de trabalhar e aprender nestes 5 anos em que estive como profissional de RVC no CNO de Cacilhas. Todos eles mereceram a qualificação que alcançaram. Parabéns a todos…

No entanto, não é raro ouvirmos criticar a Iniciativa Novas Oportunidades, nomeadamente o processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC) e os cursos de Educação e Formação de Adultos (EFA)! Porquê? Porque, na realidade, aqueles que o criticam não conhecem o trabalho que se desenvolve num Centro Novas Oportunidades, por um lado, nem percebem a filosofia subjacente aos dois tipos de ofertas educativas referidas, pois para isso teriam de conhecer os Modelos de Educação e Formação de Adultos, o que, de forma evidente, não acontece!

Engraçado, à semelhança do nosso atual Ministro da Educação, também eu sou professora de Matemática (desde 1994)! Quando me convidaram para integrar a equipa do CNO de Cacilhas, há 5 anos atrás, reconheço hoje que não conhecia nada sobre Educação e Formação de adultos e, portanto, fui aprender e documentar-me… E é assim que devia ser. Quando não conhecemos, calamo-nos e se quisermos criticar, documentamo-nos primeiro… Mas de forma séria!

Bem, mas hoje estou feliz…”

Ana Ramirez, Profissional de RVCC

4 Cidadãos+ concluíram o E. Secundário

A nota dominante na sessão de Júri de Certificação de ontem foi a tranquilidade das apresentações dos candidatos.

A tranquilidade de quem tem a consciência sólida de um percurso rico de experiências e de aprendizagens, apesar da juventude de três dos candidatos. O menos jovem tem uma carreira profissional quase tão longa como têm os restantes de tempo de vida, mas está neste momento a relançá-la numa nova oportunidade de trabalho e, por isso, a juventude inerente ao recomeço também está presente!

Tranquilidade também pela consciência da seriedade do processo de RVCC que desenvolveram, numa altura em que a credibilidade de quem tanto o criticou e denegriu caiu absolutamente por terra.

Ao Luís, ao José, ao Carlos e ao Jorge, os meus votos de felicidades e de concretização dos seus projetos pessoais e profissionais.

Imagem